LNFS | Um playoff com ou sem Ricardinho?



Os clubes podem ser vistos na situação de não chegar preparados ou de não poder contar com algumas estrelas, escreve o jornal ABC.

Sendo que o futsal não é um desporto profissional, ou pelo menos é assim que é definido, apesar do grande número de protagonistas, jogadores e técnicos, ainda está à espera de saber como resolver a campanha atípica atingida diretamente pelo coronavírus.

A Real Federação Espanhola de Futebol, que administra a competição de elite desde 16 de outubro passado, quando a separou da Liga Nacional de Futsal, alegando a ausência de um acordo entre os dois, decidiu concluir as competições por meio de um playoff express. No entanto, esta solução está no ar, enquanto se aguarda as medidas de descalcificação da Saúde e, além da incerteza, pode causar injustiças na hora de competir novamente.

Numa circular informativa publicada na terça-feira, a RFEF estabeleceu um cronograma para o retorno ao treino, com fases que dependerão da evolução do estado de alarme, e avançou as datas possíveis para a disputa desses playoffs. No futsal "haveria uma tentativa de jogá-los na segunda e terceira semana de julho". No entanto, a nota diz que "excepcionalmente, seria estudada a possibilidade de realizar a fase final da competição da Primeira Divisão no final de junho, de 23 a 30, desde que as autoridades desportivas e de saúde não a proibissem".

A federação relaciona esse possível avanço de datas às "circunstâncias especiais que ocorrem", que se traduziram como o fato de que vários clubes de primeira linha já terem retomado o trabalho de alguma forma. No entanto, por trás disso também haveria o problema de muitos clubes envolvidos terem nos contratos de alguns jogadores, a data de término no mesmo dia 30 de junho, o que poderia reduzir várias equipas, alterando a competição.

Uma das equipas mais afetadas, se disputada ocorrer em julho, seria a que ocupava o primeiro lugar na classificação quando a liga foi forçada a parar pelas medidas contra o Covid-19: Movistar Inter. Vários jogadores do clube de Madrid já anunciaram que não vão continuar na próxima temporada, quase todos com um contrato já assinado para mudar o seu destino. E eles não são exatamente os menos relevantes para a operação da equipa. Nesse cenário, Tino Pérez não contava, entre outros, com o mágico português Ricardinho, seis vezes escolhido o melhor jogador do mundo, ou com o capitão da equipa espanhola, Carlos Ortiz. Para eles, que optaram por um projeto ambicioso em Paris, isso significaria um triste adeus à liga, já que eles não poderiam despedir-se do parquet, mas para o Inter e a liga seria um revés. A equipa diminuiria várias etapas de competitividade, enquanto a competição espanhola, que desde que o português anunciou a sua partida trémula com a era pós-Ricardinho, perderia as suas embalagens.

O diretor geral do El Pozo Murcia, Fran Serrejón, admite que, quando a liga parou, "o clube já analisou com os jogadores todas as possibilidades, incluindo a possibilidade de perder as férias de julho", mês em que é "mais viável" jogar, apesar do problema dos contratos. Explica o ex-jogador que "com o envolvimento de todos os clubes poderia ser resolvido", adiando a execução de transferências já assinadas. "Em alguns casos, seríamos beneficiados, mantendo jogadores que não seriam mais nossos". Um remédio que parece mais complicado para movimentos com equipas estrangeiras, como no caso do Inter e dos jogadores que frequentam o megaprojeto parisiense, já que não parece provável que na capital francesa eles queiram arriscar uma possível lesão pelos seus grandes investimentos.

Daí a solução para as datas de junho que jogar em apenas um mês seria outro problema importante, como chegar ao playoff com uma preparação justa. Além disso, nesse aspecto, algumas equipas aproveitaram para começar a trabalhar mais cedo, uma vez que das oito classificadas, nem metade conseguiu treinar junta.

Em resumo, como na piada, "susto ou morte", e sem esquecer uma terceira opção: que a pandemia acabe forçando a deixar tudo como está.

Vídeos
Resumo da Final entre o Movistar Inter e o Valdepeñas
Dividir Para Evoluir | Irene Samper, AD Alcorcon e Seleção Espanhola
#FicaEmCasaComFutsal - Jorge Braz - 01/05/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Marcos Antunes - 30/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Carlos M Silva - 29/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Jorge Silvério - 28/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - João Nuno Ribeiro - 27/04/2020
Dividir Para Evoluir | Renatinha, Real Statte e Seleção Italiana
Dividir Para Evoluir | Mayte Mateo, STV Roldan e Seleção Espanhola
#FicaEmCasaComFutsal - Ricardo Sobral -"Cacau" - 25/04/2020
Ficha técnica | Lei da transparência | Estatuto Editorial Politica Privacidade