Nun'Álvares faz história e conquista pela primeira vez a Taça de Portugal Feminina.



O Nun'Álvares venceu a Taça de Portugal de futsal feminino, batendo o Benfica por 4-1 no desempate por grandes penalidades, após uma igualdade a 1 no final do tempo regulamentar e do prolongamento, em Sines

O equilíbrio foi a nota dominante do tempo regulamentar, mas as ‘encarnadas’ acabaram por baixar muito o bloco no prolongamento, permitindo algum ascendente às minhotas, que voltaram a bater as ‘águias’ numa decisão, após vencerem a final da Taça da Liga, em fevereiro.

O Benfica até assumiu o controlo do jogo desde o seu início, mas as equipas estiveram sempre muito encaixadas e reservaram para os últimos instantes de cada período do jogo os momentos mais emotivos.

Na primeira parte, é certo que Dricas, num remate a cerca de 10 metros da baliza do Nun’Álvares, obrigou Odete Rocha à primeira grande intervenção e que Carla Vanessa, na baliza oposta, também fez brilhar Ana Catarina, mas as oportunidades flagrantes só apareceram no último minuto.

Mariana Pereira, por duas vezes num espaço de poucos segundos, rodou sobre uma adversária e disparou ao poste. Na segunda das quais, Inês Fernandes ainda fez a recarga, mas errou o alvo com a baliza deserta.

Na segunda parte, Inês Fernandes redimiu-se do falhanço do final do primeiro período e, após combinação com Sara Ferreira, inaugurou o marcador, de ângulo apertado, na recarga ao seu próprio remate inicial.

Maria Pereira ainda voltou a introduzir a bola na baliza do Nun’Álvares mas o lance foi invalidado devido a um bloqueio faltoso de Inês Matos.

Já com o Nun’Álvares a utilizar Loira no papel de guarda-redes avançada, Cátia Morgado voltou a empatar a partida, com um remate de fora da área que desviou no braço de Inês Fernandes e traiu Ana Catarina.

Sara Ferreira, na resposta, tentou evitar o prolongamento, mas Odete Rocha opôs-se com uma grande defesa e forçou os 10 minutos adicionais.

Com o Benfica ‘tapado’ por faltas, o Nun’Álvares beneficiou de um livre de 10 metros a apenas três décimos de segundo do intervalo. Carla Vanessa rematou forte para defesa de Ana Catarina e Cátia Morgado marcou na recarga, mas o tempo do cronómetro estava esgotado e o golo não contou.

Nos últimos 10 segundos do prolongamento, a guarda-redes Ana Catarina ainda ‘vestiu’ a capa de heroína e ‘forçou’ as grandes penalidades, defendendo consecutivamente um remate de Pisko e dois de Carla Vanessa, com intervenções de elevado grau de dificuldade.

Porém, no desempate por grandes penalidades, não conseguiu travar a pontaria afinada das jogadoras do Nun’Álvares, que converteram todos os quatro remates de que dispuseram, por Cátia Morgado, Pisko, Liana Alves e Carla Vanessa, enquanto pelo Benfica só Maria Pereira conseguiu acertar nas redes.

Foi a primeira Taça de Portugal conquistada pela equipa do Nun’Álvares em oito edições disputadas da competição, desde 2013/14, e apenas a segunda vez que o Benfica deixou escapar o título da segunda prova mais importante do calendário nacional de futsal feminino.

foto - fpf.pt


Vídeos
Os melhores golos da Jornada 21 da Liga Placard
À lei da bomba (e de Guitta)
Jorge Braz: "Um jogo onde desde o início demonstrámos uma ambição gigantesca para vencer"
Jorge Braz quer Portugal focado em si mesmo frente à Tailândia
Ricardinho: "Os favoritos são sempre os mesmos. Vamos tentar intrometer-nos nesse lote"
Jorge Braz "É muito difícil e vai ser cada vez mais mas gostamos de coisas difíceis e é para a final que apontamos"
Nuno Dias analisa Sporting CP no arranque da temporada 2021/2022
Pulpis analisa SL Benfica no arranque da temporada 2021/2022
Jorge Braz anuncia convocados para o Mundial da Lituânia
Cascavel faz 3 golos em inferioridade numérica.
Ficha técnica | Lei da transparência | Estatuto Editorial Politica Privacidade